rPET: tudo sobre o PET reciclado

Estima-se que, cada ano, mais de 500 bilhões de garrafas de plástico sejam fabricadas no mundo inteiro.

Trata-se de uma quantidade muito grande que nos obriga a refletir sobre a produção, a gestão, o descarte e, em particular, sobre a reciclagem dos materiais plásticos.

O PET – polietileno tereftalato, pertencente à família dos poliésteres – é o tipo de plástico mais utilizado para a fabricação de garrafas para bebidas e frascos.

A partir da sua reciclagem, pode-se obter um material denominado rPET (do termo recycled PET), que hoje é utilizado em vários setores para a fabricação de um grande número de produtos. 

Descobre no nosso artigo a história, as vantagens e as utilizações do PET reciclado!

A reciclagem do PET é essencial para a sustentabilidade ambiental

Leve e resistente, o PET foi patenteado em 1941, quando era utilizado especialmente para a fabricação de tecidos. Nos anos 70, começou a fabricação de embalagens, que rapidamente alcançou um sucesso incrível graças a algumas características do PET, como leveza, versatilidade, transparência. Trata-se de um sucesso que, infelizmente, a falta de civilidade e respeito pelo meio ambiente tornaram numa possível fonte de contaminação.

Hoje, felizmente, podemos abandonar esta tendência negativa, graças aos esforços de muitos consumidores que recolhem os resíduos de forma correta, e de muitas empresas que decidiram investir nos materiais reciclados, sem esquecer as tecnologias de reciclagem cada vez mais eficientes.

Com efeito, o PET é considerado um tipo de polímero precioso porque é reciclável até 100% e mais vezes. O rPET é usado em vários setores, não apenas para a fabricação de garrafas e recipientes, mas também para a fabricação de roupa de poliéster reciclado.

Mesmo após a reciclagem, o PET preserva características importantes que o tornaram um dos materiais mais utilizados, tais como: grande flexibilidade, impermeabilidade, resistência muito alta tanto a temperaturas quanto ao desgaste. Sem esquecer a possibilidade de voltar a ser reciclado, contribuindo para uma redução radical das embalagens de plástico virgem no ambiente.

rPET: as vantagens principais

  • Impacto ambiental menor De facto, a reciclagem do PET gera menos 75% de emissões de CO2 e precisa de uma quantidade inferior de energia do que a fabricação do material virgem. Reciclar 1kg de PET é equivalente a reduzir as emissões de CO2 em 3kg (fonte: The New Plastics Economy Global Commitment 2019 Progress Report).
  • Menos resíduos nos aterros A recolha seletiva e a consequente reciclagem do PET contribuem para a redução de resíduos plásticos nos aterros.
  • Redução de emissões tóxicas Uma quantidade inferior de resíduos nos aterros também significa emissões significativamente mais baixas das instalações de incineração.
  • Extração de petróleo inferior A reciclagem do PET não precisa de uma nova extração de petróleo para a sua produção.
  • Maior impulso à economia circular Recuperar um material tão comum e a oportunidade de reciclá-lo em até 100% também significa estimular a economia circular, em benefício dos consumidores e das empresas produtoras.
  • Moda mais sustentável Uma maior quantidade de materiais reciclados contribui para que o setor da moda (sendo um dos mais poluentes do mundo) seja mais sustentável, graças a uma quantidade menor de petróleo usado para a fabricação de roupa nova.

Como funciona a reciclagem do PET?

O PET reciclado é obtido através de um processo mecânico, que ocorre após a recolha e a seleção correta dos resíduos plásticos pós-consumo. O material rPET obtido desta forma é então usado para a fabricação de recipientes de plástico reciclado no setor alimentar ou fios para roupa.

Já são muitas as empresas que optaram pelo PET reciclado para a fabricação de artigos de alta qualidade sem agredir o ambiente, como contamos aqui.

Recorde-se que, no que respeita ao setor alimentar, é necessário manter padrões de segurança elevados, de acordo com a normativa europeia, precisamente quanto à utilização do plástico reciclado nas embalagens em contacto direto com os alimentos (CE 282/2008).

Tudo isso mostra como a reciclagem do PET é um passo importante para o ambiente e a economia circular.

Ações indispensáveis ​​como o correto uso e descarte dos materiais plásticos, a recolha e a consequente reciclagem deles podem realmente fazer a diferença, transformando-os em recursos valiosos e contribuindo para a criação de uma gestão virtuosa dos resíduos.